CLICK HERE FOR BLOGGER TEMPLATES AND MYSPACE LAYOUTS »

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Cinco boas razões para baixar o volume



Vocês conseguem me ouvir? Conseguem? Desculpem-me se eu estiver gritando, mas acabei de passar meia hora em um culto com uma típica banda de louvor e meus ouvidos estão zumbindo. Estou certo de que estarei bem em um minuto. Ou em uma hora. Ou em um dia – eu espero.

Por que todo musicista cristão que se apresenta atualmente parece pedir uma amplificação alta?

Eu estava num acampamento cristão, há não muito tempo, onde nos reunimos para cantar ao redor de uma fogueira. Apareceram guitarras, mas, um pouco antes que eu pudesse ficar nostálgico e sugerisse que cantássemos “Pass it on”, apareceu o pedestal de um microfone também. Aparentemente três guitarras para quatro pessoas não eram suficientes. Não, elas tinham que ser amplificadas.

Eu não tenho 110 anos de idade, amigos. Eu cresci nos anos 70 com montes de amplificadores Marchall e bandas barulhentas de heavy metal o suficiente para competir com boeings 747 e ganhar. Tenho tocado em bandas de louvor por mais de 30 anos e muitas músicas passaram pelo meu teclado Roland ou baixo Fender ou guitarra Godin. Além disso, sou um homem de meia idade e minha audição está propensa a ir falhando. Mas, ainda acho o som de quase todas as bandas em quase todas as igrejas que visito muito alto – não apenas um pouco alto, mas desconfortável, e mesmo dolorosamente, alto.

Então, aqui estão cinco razões para que cada um diminua o som um ponto – ou talvez três ou quatro.

Primeiro, eu sei que dizer isso significa quebrar as regras dos músicos – do mesmo modo que os mágicos nunca devem revelar um segredo – mas aumentar o volume é um truque barato para aumentar a energia do ambiente. A comédia This is Spinal Tap nos mostrou todos os absurdos truques de som utilizados para compensar a falta de talento. (Os botões das guitarras dos componentes de bandas foram modificados para ir até 11.) Não compensa aumentar a amperagem da mediocridade para transformá-la em MEDIOCRIDADE.

Segundo, quando vocês não são muito afinados – e vamos encarar isso, a maioria dos cantores e instrumentistas não está próxima de um tom perfeito – aumentá-lo só faz prejudicar mais. Se eu ouço um “cantor afinado” tendo problemas em decidir se atinge a terça maior ou menor e ao invés disso ele chega a um meio termo com um volume alto, eu sinto como se a minha cabeça fosse rachar.

Terceiro,
as caixas de som, usadas na maioria das igrejas com o sistema PA, não devem colocar muita força nos pianos, baixos e baterias. Assim nós estaremos sendo triturados com um som desagradável e estrepitante – o que não induz à adoração.

Quarto, considerem que vocês podem estar excluindo as pessoas mais velhas que, em sua maioria, não gosta do volume do Guns N´ Roses na igreja. E se vocês desconfiarem que os mais velhos estejam encantados por trás de seus sorrisos fechados, perguntem a eles. Eu desafio vocês.

Quinto, deixe-me falar um pouco da história da igreja e de teologia pra vocês. Nos tempos em que a música se desenvolveu na Palestina no século XVI, tornou-se muito requintada e adornada para cantores comuns. Então os cristãos iam à igreja para ouvir um padre e um coral.

A Reforma Protestante tirou a música sacra dos profissionais e colocou-a de volta aos bancos da igreja. Lutero compôs hinos baseados em melodias populares, inclusive “drinking songs” (músicas para serem ouvidas enquanto se bebe algo). Calvino insistiu nas letras baseadas em Salmos. Esta foi uma música da qual quase ninguém podia participar. O problema hoje, certamente, é a raridade de músicas elaboradas. Nós poderíamos utilizar um pouco mais de arte, na verdade, do que normalmente conseguimos, com a simplicidade e formatos musicais repetitivos de muitas músicas de adoração contemporâneas.

Não, o contraste com a Reforma é a insistência dos dias modernos de que as pessoas sejam o centro das atenções. Nós fazemos isso ao permitir que uma banda com seis membros faça mais barulho do que uma congregação lotada. Mas o culto na igreja não é um concerto no qual o público canta com os cantores principais. Musicistas – cada um deles, incluindo os cantores – acompanham o louvor da congregação. Eles deveriam estar misturados ao som o suficiente apenas para fazer a sua parte, conduzindo e apoiando a congregação.

Agora, eu gosto de Palestrina e de um bom rock cristão. Então, músicos das igrejas, se vocês querem apresentar uma boa música, isto requer uma maior habilidade com os instrumentos, em todos os sentidos. Nós vamos ouvir, orar e aproveitar tudo para a glória de Deus.

Mas quando vocês estiverem nos liderando nos cânticos, então, levem-nos a cantar. E baixe o volume, senão não conseguiremos ouvir vocês – ou pior – estaremos lutando contra vocês. Eu sei que não é isso o que vocês querem que aconteça. Mas eu estou dizendo a vocês o que está acontecendo.

Desculpem-me novamente, por estar gritando.


John G. Stackhouse Jr.
é professor de Sangwoo Youtong Chee of Theology and Culture no Regent College in Vancouver, Canadá. Seu livro mais recente é “Making the Best of It: Following Christ in the Real World” (“Fazendo o Melhor: Seguindo a Cristo no Mundo Real”) da Editora Oxford Universit.

Copyright © 2008 por Christianity Today International

(Traduzido por Ana Maria Rocha Neves)

Fonte: Cristianismo Hoje

2 comentários:

Anônimo disse...

Ao completar 20 mil visitas agradecemos de todo coração ,pois vc faz parte dessa história,oferemos um presentinho que esta na sala de presentes .Agradecemos o carinho ,e receba o abraço das ,Unidas ,Evanir ,Neinha e Lucilene.
www.unidas.pelo.amor.zip.net

®enata disse...

Ahhh! Que saudade de ti!!!

Minha querida amiga do coração!
Que sufoco né!
Ficar sem internet é muito triste!...Depois que você voltou, acabei tendo problemas com meu modem que queimou e daí foi minha vez de ficar de molho...rsrsrs...
Mas sem problemas, foi benção! Acabei voltando a fazer novas atividades! Como o artesanato...
Não conta pra ninguém...hehe...mas creio que vou fazer um sorteio de algo que fizer, ainda não sei oque...mas talvez seja um paninho de prato decorado...Que tal? Seria legal né?!

Bom...Estava cheia de saudades e sempre com voce em minhas orações.
Grande beijo pra ti...e este blog está cada dia mais sendo usado por Deus...Só benção!

:D

Dê comidinha aos peixes,clicando próximo deles.